Visão De Um Preto Velho

Pedro Bento e Zé da Estrada

Tom: G
O preto velho Gervásio  
Eu conhecia a um tempão 
Era um escravo obediente,  
Foi o dodói do patrão 
Até foi alforriado,  
Se livrou da escravidão 
Ficou ali encostado,  
Mas a sombra do passado  
Lhe doía o coração 

Solo: G D C G D G D G D C G D G D G D7 G  
  

G 
Conforme passava o carro 
                    D7 
Na frente do fazendão 

O preto velho chorava 
         C     D7   G 
No alpendre do casarão 

Já tinha perdido as forças 
           G7      C 
Também a própria visão 
                     D7 
Mesmo assim acompanhava 
                   C 
Tudo o que se passava 
       D7           G 
Naquele trecho de chão 


Pelo cheiro ele sabia 
                   D7 
Se vinha vindo boiada 

Mandava fechar a porteira 
       C     D7    G 
Recolher a criançada 

Légua e meia ele sabia 
              G7          C 
Quem vinha vindo na estrada 
                    D7 
Sabia tudo certinho 
                      C 
Quem vinha lá no caminho 
       D7           G 
Quem passava na baixada 



Um certo dia ele disse 
                        D7 
Que estava vendo na estrada 

Muita gente em silêncio 
     C        D7   G 
Fazendo uma caminhada 

O seus amigos olhavam 
           G7           C 
Na estrada não vinha nada 
                     D7 
Quando foi dali uns dias 
                     C 
Era o preto que seguia 
       D7           G 
Pra derradeira morada 


  A                   D 
Aquela gente em silêncio 

Naquela estrada comprida 
   C                  D 
Ninguém estava entendendo 
                        C 
Era o próprio velho vendo 
       D7          G    C D7 G ... 
A sua própria partida 

Compartilhe esta música: novo

QR Code
Copiar