Tutorial

Pequena história da Guitarra Telecaster

Enviado por Ana Karoline

Telecaster, também conhecida como Tele, é uma típica guitarra elétrica de dois compartimentos, de corpo sólido construida pela Fender.
A Telecaster foi projetada em 1948 por Clarence Leo Fender (dono e idealizador da Fender Electric Instrument Manufacturing Company) tendo em mente um produto de produção em massa. Seu design e construção são simples, originalmente era um corpo em ASH* e braço em 1 peça de MAPLE* e escudo em baquelite, tudo muito simples de ser produzido e montado.
O nome original dado a guitarra foi Broadcaster, porém existia uma fabrica na época chamada Gretsch que já havia dado esse nome a sua linha de baterias. Após alguns meses em que a guitarra foi lançada sem nome no headstock (hoje em dia essas guitarras tem altíssimo valor colecionável e são chamadas “NoCaster”), em 1951 ela foi definitivamente batizada de Telecaster. Na época, apesar de não ter sido a primeira guitarra elétrica de corpo sólido a ser lançada, a guitarra foi revolucionaria pois possuía uma personalidade sonora contrária às outras guitarras elétricas da época, que tinham som grave e abafado, mais voltado para o jazz, o que foi um fator de identificação para a juventude. Hoje em dia ela é usada muito para o Grunge-músicos consagrados como os do Pearl Jam e Chris Cornell usam a Telecaster até hoje-ou apenas um Rock leve e Clássico com uma levada de Jazz ou Funk tais como Red Hot Chili Peppers, U2, The Rolling Stones, Audioslave, etc...

Curiosidades
A capa que vem no captador da ponte das teles, mais conhecida no exterior como Ash Trey (cinzeiro) pode ser muito bonita visualmente, mas é horrível de se usar na prática, pois, com ela, fica impossível abafar o som das cordas com a palma da mão. Um dos poucos músicos que tocavam com ela sem problemas era Albert Collins (falecido bluesman americano) que tinha uma técnica toda particular de mão direita. Por isso a peça era realmente retirada pelos músicos e usada como cinzeiro.
Nos idos de 1950 a Fender lançou um modelo com apenas o captador da ponte chamado Esquire, visando baratear o custo (atenção isso não tem nada a ver com as Fender Squier de hoje em dia).
Existe um acessório colocado na tele usado em música country chamado B Bender, que é um sistema onde a guitarra é escavada por trás, e tem um sistema que é liga a trava da alça e na corda B (si) e conforme a guitarra é empurrada para baixo a corda B muda de afinação, criando aquela sonoridade country de Steel Guitar. As teles normalmente apresentam a possibilidade de se passar o encordoamento por dentro do corpo ou apenas fixo pela ponte. No caso do string though body (passar a corda por dentro do corpo), são obtidos mais sustein e graves no instrumento; É uma prática comum acrescentar um captador no meio da tele pra dar uma maior versatilidade de timbres, essa configuração é chamada de Nashville e existem modelos originais da fender que já vem com essa configuração. Esse nome foi dado porque era uma modificação comum pedida pelos músicos de estúdio de Nashville.
Apesar de ser o símbolo do country e tele é vastamente utilizada em outros estilos como o Blues (Albert King, Albert Collins, etc...), Rock (Keith Richards, John Frusciante...)e até mesmo Jazz (Mike Stern...)

Universo Country
Existem inúmeros guitarristas country com ótimos timbres, citarei apenas alguns por causa de espaço, então vou pelo meu gosto, e pela importância histórica, (desculpem antecipadamente os que deixarei de fora...)
James Burton, tendo tocado com Ricky Nelson e Elvis Presley é um ícone e precursor da linguagem de guitarra country, tendo participado em inúmeros trabalhos ao longo de sua carreira e influienciado inúmeros guitarristas do meio country atual. Reconhecido pela fender possui uma linha de guitarras signature com seu nome.
Brent Mason guitarrista numero 1 de gravações em Nashville por muitos anos, gravou com quase todos os grandes artistas do meio country da atualidade, de Shania Twain a Alan Jackson. Possui uma técnica muito particular de mão direita.
Vince Gill, cantor e guitarrista,detentor de inúmeros prêmios e também conhecido por sua inumeras parcerias, é um guitarrista de mão cheia, e possui, na minha opinião, um dos fraseados mais bonitos e elegantes dentro do estilo country.
Brad Paisley, artista, cantor e guitarrista da nova safra, possui uma técnica absurda presente não só em suas músicas instrumentais como em seus temas cantados mais comerciais.
Jerry Donahue, Will Ray e John Jorgenson, não só consagrados por suas carreiras individuais, cito-os aqui pelo trabalho no Helecasters, um trio de guitarras instrumental com forte influência country reverenciado pelos grandes músicos não só do meio country.
Toninho Mesquita, guitarrista country brasileiro que revolucionou a forma com que a musica sertaneja via a guitarra Telecaster. Atuou de forma célebre nos maiores shows de rodeios de seu país e deixou sua marca em gravações que se imortalizaram através das vozes de artistas renomados.Dono de um fraseado impecável, segue a linha de Albert Lee com disciplina e rigor técnico.
Danny Gatton mesmo com sua morte prematura levou as técnicas de country além das fronteiras com outros gêneros, dono de um fraseado impressionante.

Telecasters de outras Marcas
Hoje em dia inúmeras marcas fazem cópias da telecaster, tanto fabricas nacionais como estrangeiras, e mesmo luthiers que fazem guitarras sob encomenda.
A industria asiática vem apresentando melhora contínua em sua qualidade e hoje em dia é possível se encontrar instrumentos bastante honestos nas faixa de R$800,00 como as Sx (Shelters) e Condors por exemplo. As fábricas nacionais também oferecem opções como a Tagima, também nessa faixa de preço.
No caso de uma guitarra de luthier, os preços são mais altos, porém existem possilidiades de se configurar a guitarra de forma personalizada. Para alguém com certa experiência e que sabe o que quer pode ser uma boa opção. Os preços variam bastante de acordo com o luthier e o nível de peças utilizadas, começando por volta de R$1500,00 indo até onde a imaginação deixar.
Com relação as fender, deve se ter bastante cuidado, existem fenders feitas em todos os lugares do mundo, dos EUA a Coréia, passando por Japão e México, até no Brasil já foram feitas (pela Giannini, sob licensa conhecidas como Fender Southern Cross, mas foram produzidas stratos e não teles por aqui), sem falar nas atuais Squiers, sub linha da Fender.
Os preços variam bastante assim como a qualidade. Inclusive a qualidade varia também dependendo do período que o instrumento foi fabricado. Boas dicas são as Fender Japonesas, que costumas ter a melhor relação entre custo e benefício.
Existem ainda ótimas opções de instrumentos usados de uma certa idade que não chegam as ser classificados como vintage (instrumentos colecionáveis de alto valor), mas são ótimas opções custo benefício, como Fernandes, Hurricane, Schecters e outras.

[email protected]