Tutorial

Harmonia

Enviado por Raviolleiro

Harmonia é a comunicação receptiva e preparativa das notas entre si. Campo Harmônico Maior: I7M IIm7 IIIm7 IV7M V7 VIm7 VIIm7(b5) Ex. em C: C7M Dm7 Em7 F7M G7 Am7 Bm7(b5) Campo Harmônico Menor: Menor Natural Im7 IIm7(b5) bIII7M IVm7 Vm7 bVI7M bVII7 Ex. em Am: Am7 Bm7(b5) C7M Dm7 Em7 F7M G7 Menor Harmônica Im7M IIdim bIII7M(#5) IVm7 V7 VI7M VIIdim Ex. em Am: Am7M Bdim C7M(#5) Dm7 E7 F7M G#dim Menor melódica Im7M IIm7 bIII7M(#5) IV7 V7 #VIdim VIIdim Ex. em Am: Am7M Bm7 C7M(#5) D7 E7 F#dim G#dim Transponha para outras tonalidades e identifique os acordes "iguais com nomes diferentes." Procure executar esses acordes em várias formações. Para inverter um acorde diminuto você só tem que subir 1 tom e meio o desenho do acorde. Grupos Funcionais Dividimos as funções em 3 grupos especiais: Tônica A função tônica é representada especialmente pelo I grau da escala. Os acordes III7 e VI7 tem notas em comum com o I. Podendo substitui-lo. Os "tônicos" representam a estabilidade. Sub-Dominante É representado pelo IV. A função sub-dominante recebe este nome porque está realmente querendo "dominar", por isso é um "sub-dominante", o IV tem notas em comum com o IIm7, podendo ser substituído por ele e suas variações. Dominante É representado pelo V7 e tem atrações com o VIIm7(b5). Ele contém o trítono, exprime "preparação", sensação de deslocamento, pedindo socorro para os tônicos. Cadências Harmônicas A cadência harmônica é a comunicação funcional dos acordes, expressando conclusão ou preparação. Uma cadência é composta de no mínimo doi acordes com, funções distintas. As cacências é que definem as modulações de tonalidades, existem músicas que tem mais de 6 tonalidades. Nós temos 5 cadências: Perfeita, imperfeita, plagal, meia-cadência e deceptiva. Cadência perfeita É a cadência mais marcante que iremos encontrar. É o resultado de combinações entre função dominante( V) e função tônica(I). Pode ser precedida do IV e do II grau, que tem a função subdominante, e neste caso passa a se chamar cadência autêntica. Exemplos: Cadência V I G | C Cadência IV V7 I F | G7 | C Cadência IIm7 V7 I Dm7 | G7 | C Cadência imperfeitaSurgiu da combinação da função dominante com a tônica, onde um dos dois, ou os dois estão invertidos ou no caso VII - I. A cadência fica notavelmente enfraquecida. Cadência V I G/B | C/E ou G7 | C/E Note que estão na primeira inversão. Cadência V7 I G7 | C/E Cadência V I VIIm7(b5) I G | C/E | Bm7(b5) | C Cadência plagal Funções Subdominante e tônica combinadas. Expressa sentido conclusivo. Cadência IV I IIm I F | C | Dm | C Cadência IV I IV I F | C/E | F/A | C Vai ficar extremamente fraco, porém conclusivo. Meia cadência É o descanso no dominante precedido por diferentes funções. Cadência I V C | G Cadência IIm V VIm V Dm | G | Am7 | G Cadência deceptiva Ocorre quando o dominante vem seguido de qualquer outro grau que nem seja a tônica. Essa cadência vai expressar modulação ou diatonismo. Se ela for diatônica o Dominante(V) vai vir seguido de qualquer grau diatônico. Pode ser um V VIm por exemplo. Cadência deceptiva diatônica V IV G | F Se tiver a função deceptiva modulante o dominante vai vir seguido de um acorde que irá definir uma nova tonalidade que pode ser absoluta ou não. Por exemplo... V => I = Esse I será qualquer nota que irá definir a nova tonalidade. V => V7 = V7 será a nova tonalidade. 1) Preparação V7 => I (Dominante primário) Na prepação V7 - I o movimento do baixo do V7 sobe quarta justa ou desce quinta justa para resolver no I. É o mais utilizado e serve tanto para acorde maior como menor. Ex: |: G7 | C :| |: G7 | Cm :| 2) Preparação SubV7 I (SubV7 Primário) SubV7 significa substituto da sétima da dominante, é encontrado no IIb. Resolve em acorde maior e menor. Ex: |: Db7 | C7M :| 3) Preparação VII I A preparação VIIº é mais frequente quando o acorde de resolução é menor. O VII grau diminuto indica cromatismo e pede a resolução na tônica porque carrega o trítono. Ex: |: Bº | Cm :| 4) Preparação VIIm7(b5) I Não é comum ver a preparação VIIm7(b5) I na música popular, ele normalmente é utilizado como I cadencial secundário do VIm. Mas se for utilizado como dominante vai pedir a tônica. Ex: |: Bm7(b5) | C :| Acordes de empréstimo modal A palavra modal vem de modo. Modo é a maneira de como os tons e semi-tons estão dispostos entre os graus da escala. Acorde de modo menor usados no modo maior paralelo e vice-versa são denominandos Acordes de Empréstimo Modal AEM É difícil encontrar em uma progressão dois acordes deste tipo seguidos, se encontrarmos, na maioria das vezes vai ser por modulação para a tonalidade paralela. Os acordes de empréstimo modal AEM podem derivar dos modos gregos que estudaremos mais a frente. Tonalidade homônima ou paralela é quando temos tonalidades diferentes para a mesma tônica. Ex: C e Cm. Ex de AEM: |: C7M | Bb7M | C7M | F7M | Fm7 | C7M | Eb7M | Db7M :|| I7M bVII7M I7M IV7M IVm7 I7M bIII7M bII7M AEM AEM AEM AEM Bb7M(bVII7M) e Db7M(bII7M) não fazem parte dos acordes diatônicos em nenhuma das tonalidades, logo, será de empréstimo modal em ambas as tonalidades. Esses dois acordes são derivados do VIIm7(b5) e IIm7(b5), respectivamente, com a fundamental abaixada em meio tom. Pode-se dizer que esses acordes são emprestados do modo dórico e frígio. Dominantes Os dominantes secundários são os dominantes dos demais graus diatônicos. Também conhecidos pelo movimento do baixo V/II, V/III, V/IV. Se em uma progressão qualquer você for sair do I grau por exemplo e for passar pelo IIm7, você pode usar o dominante dele. Vamos pensar na escala de dó maior e calcular o V grau(dominante) de ré(IIm7). Vai ser Lá. Exemplo de como colocar na prática: |: C7M | A7 | Dm7 | D7 | G7 | C7M :| I7M V/II IIm7 V/V V7 I7M Onde V/II significa que é o movimento do V grau de II para o II. Dominante Auxiliar Os dominantes auxiliares são os dominantes dos acordes de empréstimo modal. V7/bIII, V7/bVI, etc... Sua resolução se caracteriza por movimento do baixo quarta justa ascendente ou quinta justa descendente. SubV7 Secundário São os dominantes substitutos(SubV7) dos graus diatônicos. Sua resolução pede movimento de baixo que desce meio tom pra alcançar o acorde desejado. E podem ser aplicados aos AEM também.