Armelim De Jesus

Samuel Uria

Tom: D
D   G             A               D 
Um coração hospitaleiro deve ser aberto 
D   G                  A                  D 
E a grande cicatriz no peito é de homem inteiro. 

     G           A                    Bm 
Teve na boca a palavra, nas mãos calçadeira, 
      G                    A               D 
Que andar junto aos pés do Homem é coisa cimeira. 


Pré-Refrão: 
A    D    F#m Bm 
Foi assim Armelim. 
G                         A                   D 
Ainda que estranho, era o nome de um homem honrado. 

A D F#m Bm Armelim não tem fim G A D Há nomes tão fortes que a morte só leva emprestado.
G A D E severo quando ser severo, é ser-se acertado. G A D Tão reto que um fio de prumo fica embaraçado. G A Bm Deu aos seus braços a forma de quem abriga, G A D Deu o seu lugar a todos, menos à fadiga. G A Vestiu os pés de toda a vila, F#m Bm Mas vestiu também o chão G A D Com essas grandes pegadas do seu coração. Pré-Refrão: A D F#m Bm Foi assim Armelim. G A D Ainda que estranho, era o nome de um homem honrado.
A D F#m Bm Armelim não tem fim G A D Há nomes tão fortes que a morte só leva emprestado.
Solo G A Bm Ele só tinha um sobrenome mas bem o dizia G A Quando alguém lhe perguntava a quem ele servia. G A Chegou-me esse nome por sangue materno, F#m Bm mas também pela opção G A D de ir pelas mesmas pegadas que aquele coração. Pré-Refrão: A D F#m Bm Foi assim Armelim. G A D Ainda que estranho, era o nome de um homem honrado.
A D F#m Bm Armelim não tem fim G A D Há nomes tão fortes que a morte só leva emprestado.

Compartilhe esta música: novo

QR Code
Copiar