Tom: D
Solo

D
O meu coração pediu
                  A7
Que eu pegasse a viola

Pra musicar alguns versos
                  D
Que estavam na cachola

Eu não discuto por nada
                   A7
Muito menos nessa hora

Venho de terra distante
                  D
E estou chegando agora
 E
Só que gosto de viola
                     A7
Me perguntaram, por que?

No idioma caipira
              D
Agora vou responder
 E
Não sou do vento virado
                 A7
Não tenho pai assombrado
                  D
Pra cantar sou calibrado
            A7
Só no meu ponteado
                  D
Já é possível entender

Solo

 D
Viola que não prestava
               A7
Comigo ficou batuta

Só canto fazendo amigos
                   D
Eu não entro em disputa

Para pontear dobrado
                      A7
Tenho um parceiro dos bão

Não há dueto mais lindo
                 D
Do que viola e violão
 E
Pagode, moda de viola
                         A7
Pra cantar tem que ter peito

Não pode ser mais ou menos
                   D
Precisa fazer bem feito
 E
Não sou bagre de enchente
                 A7
Sou veneno de serpente
                    D
Da vida não sou descrente
                    A7
Tenho uma paixão crescente
                     D
Aqui dentro do meu peito

Solo

 D
Canto no estilo de raiz
             A7
Com raça e coração

Presto atenção no que diz
             D
A palavra tradição

Disseram em outros tempos
                 A7
Que a viola ia acabar

Ela renovou as forças
                 D
Defendendo seu lugar
 E
Usando toda expressão
                A7
Viola é bom de mais

Veja quanto sentimento
                      D
O som das 10 cordas traz
 E
No cantar sou passarinho
                   A7
Não quero contar sozinho
                   D
Pra todos o meu carinho
                 A7
Abraçado nesse pinho
                 D
Canto o pagode da paz 

Compartilhe esta música: novo

QR Code
Copiar