A Morte Do Vaqueiro

Dominguinhos

Tom: Dm
Intro: Dm  A Dm A Dm G Dm 
  
Dm   G             Dm           G         Dm 
Numa tarde bem tristonha, gado muge sem parar. 
                   F              Bb          A7 
Lamentando o seu vaqueiro que não vem mais aboiar 
                 Dm          C         Dm   C Dm C 
Não vem mais, aboiar, tão dolente a cantar. 

Dm           C             Dm            C      Dm         G 
Tengo,lengo, tengo, lengo, tengo, lengo, tengo/ êh, gado, hôi! 


Dm    G            Dm         G             Dm 
Bom vaqueiro nordestino morre sem deixar tostão 
                    F           Bb           A7 
E o seu nome é esquecido nas quebradas do sertão 
               Dm         C            Dm   C Dm C 
Nunca mais, ouvirão, seu cantar, meu irmão. 

Dm           C             Dm            C      Dm         G 
Tengo,lengo, tengo, lengo, tengo, lengo, tengo/ êh, gado, hôi! 

Dm   G         Dm          G        Dm 
Sacudido numa cova, desprezado do Senhor  
                  F                Bb        A7 
Só lembrado do cachorro que ainda chora sua dor   
                Dm        C        Dm   C Dm C 
É demais, tanta dor, a chorar com amor. 
   
Dm            C             Dm            C 
Tengo, lengo, tengo, lengo, tengo, lengo, tengo. 
Dm            C             Dm            C      Em D Em D 
Tengo, lengo, tengo, lengo, tengo, lengo, tengo 

2ª Parte, Alcymar Monteiro, Modulação Para Em 

Em        A 
Êh, gado, hôi!   

Em    A            Em          A          Em 
Numa tarde bem tristonha, gado muge sem parar 
                   G              C            B7 
Lamentando o seu vaqueiro que não vem mais aboiar 
                 Em          D         Em   D Em D 
Não vem mais, aboiar, tão dolente a cantar 

Em           D            Em            D      Em         A 
Tengo,lengo, tengo,lengo, tengo, lengo, tengo/ êh, gado, hôi! 

Em    A            Em         A             Em 
Bom vaqueiro nordestino morre sem deixar tostão 
                    G            C           B7 
E o seu nome é esquecido nas quebradas do sertão 
                Em          D          Em   D Em D 
Nunca mais, ouvirão, seu cantar, meu irmão. 

Em           D            Em           D      Em         A 
Tengo,lengo, tengo,lengo, tengo,lengo, tengo/ êh, gado, hôi! 

Em   A        Em          A          Em 
Sacudido numa cova, desprezado do Senhor.  
                 G                C           B7 
Só lembrado do cachorro que ainda chora a sua dor   
                Em        D        Em   D Em D 
É demais, tanta dor, a chorar com amor.  
  
Em            D             Em            D 
Tengo, lengo, tengo, lengo, tengo, lengo, tengo. 
Em           D            Em           D      Em        A 
Tengo,lengo, tengo,lengo, tengo,lengo, tengo/ êh, gado, hôi! 

Em      G       A7      Em 
Êh, Êh, Êh, Êh, Êh, Êh, Êêêêêêh! 

Compartilhe esta música: novo

QR Code
Copiar