Cuidar De Homem

Belchior

Tom: D
Intro: D  D/F#  G  C 

D D/F# G    C            D D/F# G     C 
         Cuidar do homem,         cuidar do homem 

D                 Em7 
Solução, rima, Raimundo, 
                   F#m7     B7/9           D 
É chegado o fim de tudo e o mundo pode acabar 

D D/F# G    C            D D/F# G     C 
         Cuidar do homem,         cuidar do homem 

D 
De tanto ver, fiquei cego; surdo de tanto escutar 
               Em7             G          D 
Ainda me sinto gente, mas não posso respirar 
     D/F#           G                      D 
Tem veneno em toda terra, mil fumaças pelo ar 

                     G 
Não tem pássaro nem bicho 
                   F#m7                     D 
E monte líquido de lixo se tornou a água do mar 
                     G 
Não tem pássaro nem bicho 
                   F#m7                     D 
E monte líquido de lixo se tornou a água do mar 

D D/F# G    C            D D/F# G     C 
         Cuidar do homem,         cuidar do homem 

( D  D/C  D/B ) 

Em                                       A     F#m7         B7 
Pra quem pensava que Hiroshima, meu amor, tinha sido exemplar 
         Em             A              F#m7      B7 
Há Bomba N, há de Hidrogênio, há Bomba Atômica 
            Em                A              F#m7           B7 
Só quem não tem nenhuma simpatia pela raça humana pode insistir 
         Em            A          F#m7         B7 
No desrespeito tão flagrante ao direito de existir 

    Em                    A              F#m7          B7 
Talvez, se esses caras tivessem uma bela dama, um amor puro 
         Em            A            F#m7       B7 
Fizessem fama, sobre a cama, como autores do futuro 
    Em                      A               F#m7               B7 
Por isso, enquanto esses dementes tomam por amantes bombas e usinas 
              Em       D/F#     G        A        F#m7        A    B7    A 
Eu canto, eu danço, eu fumo, eu bebo, eu como, eu gozo com essas meninas 

       Em             A            F#m7            B7 
E se você vier com essa: que sou ingênuo, artista louco 
            Em        D/F#      G          A   F#m7          A    B7    A 
Digo: eu concordo, eu pinto, eu bordo, eu vivo muito e ainda acho pouco 

    Em                      A              F#m7          B7 
Por isso é sempre novo afirmar: Não faça a guerra, faça amor 
         Em             A           F#m7          B7 
E viva a vida e seus instintos no poder da flor 

    Em                      A              F#m7          B7 
Por isso é sempre novo afirmar: Não faça a guerra, faça amor 
         Em             A           D        D/F#  G 
E viva a vida e seus instintos em poder da flor 

D D/F# G    C            D D/F# G     C 
         Cuidar do homem,         cuidar do homem 

Compartilhe esta música: novo

QR Code
Copiar