Veranero

André Teixeira

Tom: F
Intro F  C7  F  Dm7  C7 

F                            C7 
Recém a peonada levantou da sesta 
                                 F 
Que as tarde são grande num mês veranero 
              Dm7                  C7 
A estiagem vem braba e os dia muy quente 
                                F 
E até a alma sente este sol de janeiro 

F                            C7 
Eguada na sombra a espera do arreio 
                                F 
Que o campo do meio requer mais cuidado 
          Dm7                C7 
Terreno dobrado, com grota e macega 
                             F 
A mosca atropela e tem gado abichado 
          Dm7                C7 
Terreno dobrado, com grota e macega 
                             F 
A mosca atropela e tem gado abichado 

                                     C7 
A manhã foi de muda, cambiamo os da encilha 
                                   F 
Saíram às rosilhas e entraram as gateadas 
          Dm7                C7 
De crina tosada e casquito aparado 
                             F 
Pra se adelgaçarem, posaram encerradas 
          Dm7                C7 
De crina tosada e casquito aparado 
                             F 
Pra se adelgaçarem, posaram encerradas 

                             C7 
É costume da estância, tropilhas de pelos 
                            F7 
Tem moura, lobuna, baia e colorada 
          Dm7                C7 
Nenhuma refuga, boi brabo e rio cheio 
                             F 
Levianas de freio e ligeiras de pata 

                             C7 
O Firmino é quem doma e costeia de baixo 
                             F 
Paysano buenacho, dotor nesse ofício 
         Dm7                 C7 
Pelego do avesso, xergão sem carona 
                             F 
E um basto judiado de tanto serviço 
         Dm7                 C7 
Pelego do avesso, xergão sem carona 
                             F 
E um basto judiado de tanto serviço 

                           C7 
O Juca só usa o preparo completo 
                           F 
Trançado de oito, peitera e rabicho 
          Dm7              C7 
Aperta os beiçudo no meio da pança 
                            F 
Chega da uma ânsia de pena dos bicho 
          Dm7                 C7 
Aperta os beiçudo no meio da pança 
                              F 
Chega da uma ânsia de pena dos bicho 

                         C7 
O cano virado da bota surrada 
                             F 
Arremango a bombacha em riba do joelho 
        Dm7                C7 
O véio Florêncio andou se aposentando 
                               F 
Mas salta calando e ainda pega parelho 
        Dm7                 C7 
O véio Florêncio andou se aposentando 
                               F 
Mas salta calando e ainda pega parelho 

                       C7 
O cano virado da bota surrada 
                               F 
Arremango a bombacha em riba do joelho 
         Dm7                  C7 
O véio Florêncio andou se aposentando 
                                F 
Mas salta calando e ainda pega parelho 
         Dm7                   C7 
O véio Florêncio andou se aposentando 
                                F 
Mas salta calando e ainda pega parelho 

              C                      F 
E ainda pega parelho, e ainda pega parelho 
           D7/F#                   Gm 
Y entonce se bamo com Deus e assim seja 
         C7                    F 
Lá longe troveja e a tarde se achica 
           D7/F#               Gm 
Na boca da noite um amargo escumado 
            C7                   F 
E pra bóia um guisado, arroz e canjica 
           D7/F#               Gm 
Na boca da noite um amargo escumado 
           C7                   F 
E pra bóia um guisado, arroz e canjica 
           D7/F#                Gm 
Na boca da noite um amargo escumado 
           C7                   F 
E pra bóia um guisado, arroz e canjica 

Final F  C7  F  C7  F 

Compartilhe esta música: novo

QR Code
Copiar